Notícias | Dia a dia
Rune celebra vitória sobre ídolo e vaga no top 10
06/11/2022 às 17h06

Rune derrotou cinco nomes do top 10 durante o torneio, tendo superado Novak Djokovic na final

Foto: Rolex Paris Masters

Paris (França) - Campeão do Masters 1000 de Paris neste domingo, Holger Rune impediu o heptcampeonato do ídolo Novak Djokovic na capital francesa. O dinamarquês de 19 anos também fez uma campanha impecável ao derrotar cinco jogadores do top 10 seguidos e mais o ex-número 3 do mundo Stan Wawrinka para conquistar o maior título de sua carreira profissional.

"É um privilégio dividir a quadra com Novak, significa tudo para mim. Foi uma maneira perfeita de terminar a semana", disse Rune após a vitória por 3/6, 6/3 e 7/5 sobre Djokovic. Este foi apenas o segundo confronto entre eles no circuito, mas os dois já treinaram juntos em várias oportunidades e são bons amigos.

"Antes de qualquer partida, eu sempre acredito que posso vencer. Não importa com quem eu vá jogar. Obviamente eu sabia que hoje seria muito difícil. Ele jogou, se não me engano, mais de cem finais de ATP em sua carreira e é muito mais experiente do que eu", comenta a respeito do sérvio, que tem 90 títulos no circuito e disputou a 129ª final da carreira.

"Eu apenas tentei usar minha juventude, força de vontade, e fazer tudo o que posso para colocá-lo sob pressão. Joguei muito bem nos momentos importantes de hoje e foi isso que fez a diferença. Esta foi provavelmente uma das partidas mais difíceis que já joguei na minha vida", acrescentou o dinamarquês, que comemorou seu terceiro título de ATP. Ao longo da semana em Paris, também venceu nomes como Hubert Hurkacz, Andrey Rublev, Carlos Alcaraz e Felix Auger-Aliassime.

'Foi o game mais estressante da minha vida'
No último game da partida, quando sacava para o jogo, Rune escapou de seis break-points antes de confirmar a vitória. "Foi o game mais estressante da minha vida. Meu coração estava quase no meu cérebro. Eu já estava começando a pensar no tiebreak. Estou muito orgulhoso de poder ter fechado o jogo ali".

Ex-número 1 juvenil, Rune era apenas o 103º do ranking em janeiro. Mas a partir de segunda-feira, ele será um dos dez melhores jogadores do mundo. O jovem jogador também será o primeiro na lista de espera por desistências para o ATP Finals, que começa no domingo que vem em Turim, na Itália. Por isso, abriu mão do Next Gen ATP Finals, que acontece entre terça e sábado em Milão.

"É claro que vou para Turim. Estou apenas a uma desistência. Desejo o melhor a todos os jogadores e quero que eles estejam saudáveis, mas ao mesmo tempo seria incrível se eu pudesse jogar", afirmou o tenista, que disputou cinco finais no ano. "Se você me dissesse quatro semanas atrás, eu estaria no top 10, eu não acreditaria. Agora que estou aqui, estou super orgulhoso".

Impacto para o tênis dinamarquês
Rune já tem o melhor ranking de um dinamarquês no ranking de simples da ATP. Na última década, o tênis ganhou notoriedade no país por causa de Caroline Wozniacki, ex-número 1 do mundo e campeã do Australian Open de 2018.

"O tênis já mudou um pouco na Dinamarca desde que entrei no top 30. Há mais foco no esporte. Nós obviamente tínhamos a Wozniacki, mas eu sou o primeiro jogador no top 10 do masculino. É ótimo saber que as crianças podem começar a jogar mais, ir a mais torneios e viajar mais. Só quero dizer a eles: 'Continuem acreditando em vocês'. Eles sempre podem me pedir alguns conselhos, se quiserem".

Comentários