Notícias | Dia a dia | US Open
Cirstea elimina Rybakina e faz oitavas pela 1ª vez
02/09/2023 às 01h09

Cirstea faz sua melhor campanha no US Open aos 33 anos e venceu o quarto jogo contra top 5 no ano

Foto: Brad Penner/USTA

Nova York (EUA) - Pela primeira vez em 15 participações, Sorana Cirstea disputará as oitavas de final do US Open. A experiente romena de 33 anos garantiu o melhor resultado da carreira em Nova York depois de eliminar a cazaque Elena Rybakina, número 4 do mundo, com parciais de 6/3, 6/7 (6-8) e 6/4 em 2h50 de partida.

Atual 30ª do ranking, Cirstea já venceu quatro partidas contra top 5 só na atual temporada. Foram duas vitórias contra a francesa Caroline Garcia, em Indian Wells e Miami, e uma contra Aryna Sabalenka, também na Flórida. 

Cirstea enfrenta na próxima rodada a suíça Belinda Bencic, número 13 do mundo, que precisou de três sets e 2h39 para superar a chinesa Lin Zhu por 7/6 (7-1), 2/6 e 6/3. Bencic, de 26 anos, já foi semifinalista do US Open em 2019 e chegou outras duas vezes às quartas, a última em 2021. A suíça tem apenas uma vitória em três jogos contra a romena no circuito, mas esse triunfo foi justamente no US Open do ano passado.

Já Rybakina segue sem passar da terceira rodada do US Open. Campeã de Wimbeldon no ano passado e vice do Australian Open na atual temporada, a cazaque de 24 anos fez sua quinta aparição em Nova York. Este é o único Grand Slam que ela nunca chegou pelo menos às quartas. Nas últimas semanas, a tenista sofreu com desconforto no ombro e chegou a abandonar uma partida em Cincinnati. Já no US Open, ela venceu a estreia contra Marta Kostyuk e contou com a desistência de Ajla Tomljanovic na segunda rodada.

Cirstea conseguiu cinco quebras, quatro no último set
O set inicial partida teve apenas uma quebra. Cirstea sacou muito bem e não enfrentou break-points, além de ceder apenas um ponto quando colocou o primeiro serviço em quadra. A romena abriu 3/1 no placar e sustentou a liderança até o fim da parcial.

Logo na abertura do segundo set, Cirstea conseguiu mais uma quebra de serviço, mas Rybakina buscou o empate de imediato. Depois, a cazaque passou a confirmar seus games de forma mais tranquila, mas perdia muitas chances de abrir vantagem no placar. Foram cinco break-points quando ela liderava por 3/2 e mais dois set-points no 6/5, o primeiro em um longo rali até um erro com o backhand e o segundo com saque e primeira bola de Cirstea.

A definição do segundo set ficou para um tiebreak com altos e baixos. Rybakina começou muito consistente no saque e nos ralis de fundo e saiu vencendo por 4-0, mas permitiu o empate por 4-4. Pouco depois, a cazaque sustentou longas trocas e chegou a mais dois set-points, liderando por 6-4. Primeiro, ela jogou para fora uma devolução e depois errou um forehand em ponto dominado pela romena. Mesmo com toda a pressão sobre ela, cazaque foi agressiva e mandou nos pontos com o forehand para empatar a partida.

Rybakina teve o serviço quebrado no início do terceiro set, ao errar um voleio simples. Cirstea saiu vencendo por 2/0, perdeu o saque na sequência, mas voltou a quebrar para fazer 4/1. A cazaque lutou muito para confirmar um game de serviço e diminuir a diferença para 4/3, mas voltou a passar por momentos de oscilação no saque e também nos ralis. Ainda que Cirstea tenha perdido a chance de sacar para o jogo, ela conseguiria a quarta quebra de serviço no set para confirmar a vitória.

Comentários